Maestro Artur Rouquina

Artur Carlos Cheira Rouquina, natural de Estremoz, nasceu a 23 de fevereiro de 1980. Iniciou a sua formação musical na Sociedade Filarmónica Artística Estremocense. Em 1993 ingressou na Escola Profissional de Música de Évora na classe de oboé com o Prof. Andrew Swinnerton. Em 1995, participou no Estágio Internacional para Jovens Músicos do Inatel na Costa da Caparica, sob a orientação dos Maestros Aurélio Pinho, Agostinho Caineta e Luís Rêgo.

Nos anos de 1996 e 1997, frequentou os estágios da Orquestra das Escolas Particulares em Rio de Mouro e Coimbra respetivamente. Em 1998 e 1999, participou na Orquestra de Sopros dos Templários em Tomar com o Maestro António Saiote.

Ainda em 1999, terminou a sua formação na Escola Profissional de Música de Évora com a classificação de 19 valores em oboé e Música de Câmara, e em outubro participou no primeiro estágio da Orquestra Aproarte sob direcção musical de Ernest Schell.

Em setembro de 2000, ingressou na Banda de Música Força Aérea Portuguesa no Curso de Formação de Praças, e em 2002 foi admitido na Escola Superior de Música de Lisboa no Curso de Instrumento Vertente Oboé sob a orientação do Prof. Andrew Swinnerton.

Durante a sua formação, frequentou vários cursos de aperfeiçoamento em oboé com os Profs: Manuel Lopes da Cruz, Jean Claude Jaboulay, Catherine Herrot, Thomas Indermuller, Jean Michell Garreti, Omar Zoboli, Issac Duarte, Washington Barella, Ernst Rombout, Alex Klein, Christian Wetzel, Hansjorg Schelenberger, entre outros.

Em 2003, foi admitido no Curso de Formação de Sargentos do Quadro Permanente da Força Aérea Portuguesa.

Colaborou como músico convidado na Orquestra Gulbenkian, Orquestra Sinfonietta de Lisboa, Orquestra Metropolitana, Orquestra de Câmara de Cascais/Oeiras, entre outras.

Em 2007, concluiu a Licenciatura na Escola Superior de Música de Lisboa em Oboé, apresentando-se no final a solo com a Orquestra da referida Escola.

No plano pedagógico, fez parte do corpo docente na Banda Filarmónica da Casa do Povo de Lavre na Escola de Música da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Loures e na Escola de Música do Conservatório Nacional no âmbito do Projecto “Geração”.

Interessou-se pela área da Direção, e em setembro de 2007 participou no Curso de Maestros de Orquestra de Sopros em Peniche sob a orientação dos Maestros Henrique Piloto e Rui Carreira. Seguiram-se outros cursos em direção com distintos maestros nomeadamente: Carlos Marques, Délio Gonçalves, Mark Heron, Steven Davis, Felix Hauswirth, Craig Kirchhoff, Daniel Schmidt, José Rafael Pascual Vilaplana e Douglas Bostock.

Foi Maestro da Banda da Sociedade Filarmónica Artística Estremocense (Estremoz), da Banda da Sociedade Filarmónica União Samorense (Samora Correia), da Banda da Sociedade Filarmónica 1º de Dezembro de Pragança (Cadaval) e da Banda da Sociedade Filarmónica Recreativa Gaeirense (Óbidos).

Em 2013, concluiu a Licenciatura em Direção de Orquestra de Sopros na Escola Superior de Música de Lisboa.

Foi solista em oboé na Banda de Música da Força Aérea Portuguesa entre 2000 e 2017, e após concurso público ingressou no curso de promoção a Oficial Chefe de Banda de Música na referida instituição.

Atualmente, para além da sua actividade como Maestro na Banda de Música da Força Aérea, frequenta o Mestrado em Direção Orquestral na Escola Superior de Música de Lisboa sob a orientação do Maestro Jean Marc Burffin.

ADesde 10 de janeiro de 2020, tomou o lugar de Maestro na Banda da Sociedade Filarmónica 1º de Dezembro da Encarnação.